Laboratório

Visite o que foi nosso Laboratório de Permacultura Urbana. A Casa dos Hólons, já não está mais no bairro paulistano do Campo Belo, mas ainda pode ser visitada através de fotos e vídeos. Desde já, sejam bem vind@s!

 

Da rua já era possível notar que este não era um imóvel comum, mas sim repleto de criatividade, reuso e muita natureza!

  • Fachada da Casa dos Hólons nos primeiros meses após reformas iniciais.
  • Fachada da Casa dos Hólons nos primeiros meses após reformas iniciais.
  • Fachada da Casa dos Hólons, 2014.
  • Fachada da Casa dos Hólons, 2015.

No jardim da frente os plantios mistos, com plantas ornamentais e alimentícias, forneciam um colorido e uma agradável atmosfera, completada com muros em diferentes acabamentos! Um reutilizava garrafas e tijolos de demolição, outro foi esculpido pelo artista plástico Wagner Novaes. Além disso, chamava atenção os sistemas de tratamento biológico de água e a captação pluvial.

Na entrada da Casa, um ótimo exemplo de pintura ecológica. Tintas naturais compunham os desenhos, com uma releitura dos padrões indígenas. Tudo feito com tintas vencidas ou naturais!

Pelo corredor o bom aproveitamento do espaço era o foco! Chamava atenção, tanto o sistema de biofiltros que tratavam exclusivamente as águas da cozinha e já irrigavam os canteiros, quanto os plantios verticais. Um dos modelos era feito com materiais simples e reutilizados, além disso já tinha um sistema de coleta e conservação da água da chuva, bem como capaz de descartar os primeiros minutos de chuva ácida, num simples mecanismo, como pode ser conferido no vídeo abaixo!

No final do corredor já era possível ver as construções mais inusitadas da Casa, como a sala de aula.

Mosaico e ferrocimento artesanal

Mosaico e ferrocimento artesanal

Feita com as técnicas de hiper adobe e ferrocimento, esta construção simbolizava a forma de pensar da permacultura. Os formatos circulares, simbolizavam os ciclos naturais e favorecia as reuniões em círculo. O piso, feito na técnica de mosaico e cimento queimado, complementava o ambiente.

A vista da Sala de Convergência já nos fazia esquecer o denso ambiente urbano de São Paulo. Nem mesmo os constantes aviões do Aeroporto de Congonhas impediam a sensação de estarmos num pequeno oásis!

No centro da Casa havia o Círculo de Bananeiras. Um sistema de evapotranspiração que tratou e reutilizou, com segurança, 100% do esgoto doméstico, de 2002 até o fim do projeto! O experimento foi um dos primeiros realizados no imóvel. Nele, as águas eram divididas entre sanitárias e cinzas. As sanitárias, com fezes, passavam por um processo de decantação e filtragem, depois seguiam para o centro do canteiro. As água cinzas, da lavanderia, da cozinha, das pias dos banheiro e do ralo do chuveiro, seguiam direto para o mesmo destino. Lá eram totalmente consumidas pelas raízes das bananeiras.

 

As construções em volta do Círculo também acompanhavam o estilo inusitado do local. A cozinha externa, com muretas feitas em barro e diversos materiais de reuso, tinha uma cobertura em ferrocimento com formas circulares. O charme era completo com um forno de barro feito de forma coletiva!

  • Vista da cozinha de ferrocimento
  • Cozinha de ferrocimento artesanal.
  • Bioconstrução na Casa dos Hólons, banco de superadobe
  • Bioconstrução na Casa dos Hólons, banco em superadobe.
  • Bioconstrução na Casa dos Hólons, muito reuso de garrafas de vidro e outros materiais comuns. Pintura em geotinta.

Na frente da cozinha, o quarto pirâmide e a sala de meditação apresentavam outras técnicas de bioconstrução, como a de tijolo armado.

As ecocabanas, feitas 100% de materiais encontrados na rua, comprovavam ser possível fazer muito, com pouco. Apenas pregos e parafusos foram comprados, o resto tudo encontrado na rua, em caçambas!

  • Ecocabana da Casa dos Hólons, feita com materiais encontrados na rua.
  • Ecocabana da Casa dos Hólons, feita com materiais encontrados na rua.
  • Ecocabana da Casa dos Hólons, feita com materiais encontrados na rua, durante visita ecopedagógica.
  • Ecocabana da Casa dos Hólons, feita com materiais encontrados na rua.

Os telhados verdes, sempre muito produtivos e bastante visitados por dezenas de espécies de pássaros, diariamente.

  • Telhado verde na Casa dos Hólons, o primeiro e um dos mais produtivos!
  • Telhado verde da Casa dos Hólons feito em ferrocimento.

Veja este vídeo filmado no telhado:

Além de tudo isso, haviam as nossas experiências vivenciais, com moradores-pesquisadores, curiosos, escolas, grupos de estudo de ecologia e sustentabilidade, além de jornalistas e curiosos. Assim a Casa estava completa para um novo tempo, um outro mundo possível, na prática.

Hoje, não estamos mais na rua João Álvares Soares, mas podemos ir até sua escola, instituição, ou empresa. Clique e envie-nos a sua mensagem!

Confira no vídeo abaixo um pouco de nossa oficina de bioconstrução durante o PDC 2016 no Ecocentro IPEC.